Notícias

  19 de Agosto de 2019

Cuidados com as doenças de Inverno em bebês

TIMBÓ – “Tempo seco, temperaturas baixas e menos atividades ao ar livre. Este é o quadro básico para que as doenças de inverno sejam disseminadas, principalmente aquelas de transmissão por vias respiratórias, processos alérgicos e infecções (coqueluche, difteria, caxumba, meningites bacterianas, pneumonia e gripe), além de mucosas ressecadas e mecanismo de defesa reduzido”. As colocações são o médico pediatra do Hospital e Maternidade Oase, Alan Rodrigues de Almeida.

O médico pediatra que é natural de Três Lagoas, Mato Grosso do Sul, com formação em Medicina pela Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal, em Rondônia em 2013; fez residência Médica em Pediatria pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, em São Paulo em 2016 e título de Especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria aprovado em 2016.

O profissional, em entrevista conta que sempre teve muito carinho pelo Estado de Santa Catarina, admirando as belezas que aqui existem e ano passado em uma viagem para o litoral decidiu que se mudaria para a região. “Como tenho amigos médicos que estão em Timbó e Indaial ficou mais fácil essa ligação com os hospitais, razão pela qual estão fazendo parte desde o mês de maio do corpo clínico do Hospital e Maternidade Oase”, observa ele ao contar que ainda está em fase de adaptação em todos os sentidos, mas tem gostado muito de trabalhar com os novos colegas do Hospital Oase. “São pessoas muito receptíveis e estão me acolhendo muito bem. Sempre gostei de novos desafios e aqui estou”.

Questionado sobre a profissão de médico pediátrico, Almeida afirma que a pediatria é uma especialidade médica muito carente pelo Brasil, sendo uma área de suma importância para o seguimento de saúde das crianças. “Cheguei em uma época muito complicada para os serviços de pediatria de todo o Brasil. Vivemos uma sazonalidade pois a quantidade de vírus que circula no ar é muito grande e acaba adoecendo nossas crianças”.

Almeida, em entrevista indica medidas simples e eficientes para que mães e pais estejam atentos e tenham cuidados especiais nesta época do ano com os seus bebês. “Um dos conselhos que costumo dar as mamães e pais é que evitem lugares de muita aglomeração de pessoas com seus filhos, por exemplo: bancos, igrejas e supermercados, principalmente com bebês pequenos”.

 

Orientações importantes

O profissional também orienta para que as mamães e papais, evitam trazer os bebês até o Pronto-Socorro, pois evitará expor a criança a riscos maiores do que ela apresenta, como bactérias e vírus mais agressivos. Outra questão é que muitas consultas são consultas de rotina (Puericultura) que não devem ser realizadas em Pronto-Socorro e sim nas unidades Básicas de Saúde”.

O médico cita alguns cuidados básicos que é preciso ter com os bebês neste período do ano: Evitar lugares de muita aglomeração de pessoas; Muita hidratação, alimentação leve, evitar guloseimas. “Assim que inicia os sintomas de coriza, realizar limpeza nasal com soro fisiológico e medicações antitérmicas para controle da febre. Procurar ajuda médica caso haja o menor sinal de complicações, como respiração ofegante ou rápida, batimento de asas do nariz, boquinha roxa, febre muito alta com prostração e recusa alimentar ou de água”. Ele ressalta ainda a importância do leite materno exclusivo do nascimento até os seis meses de vida e complementar até os dois anos ou mais. “O leite materno, além de rico nutricionalmente, contém anticorpos que protegem a criança de muitas infecções durante todo o ano”.

Confira a seguir os cuidados práticos que os pais devem ter em diferentes situações:

No banho

Antes de levar o pequeno para a banheira ou para debaixo do chuveiro, é importante organizar tudo o que será usado para que os itens estejam à mão. Manter o ambiente entre 23 e 26 graus, para evitar que a temperatura corpórea do bebê baixe durante o banho. O cuidado com a água é essencial para que não machuque o bebê, além de evitar banhos muito quentes, demorados e sem retirar adequadamente os resíduos de sabão, o que pode ressecar a pele e levar às dermatites. A dica é testar a temperatura da água na mão (entre o polegar e o indicador, região sensível que se assemelha à pele do bebê).

Na escolha das roupas

A pele do bebê é muito delicada, por isso é importante que suas roupinhas sejam lavadas com sabão de coco, sem amaciante. Observe os tecidos e as camadas de roupa na hora de vestir o bebê: os bodies devem ser, preferencialmente, de malha macia e sem botões, para que não machuque, seguido por um macacão de plush, um casaquinho de lã e uma manta leve para que aqueça sem dificultar o manuseio. Evite agasalhar em excesso! A criança deve estar confortável, sem vermelhidão facial ou suada quando em repouso – neste caso, retire uma camada de roupa e mensure a temperatura em 30 minutos. Também é importante aquecer as extremidades (mãos, pés e cabeça), que perdem bastante calor.

 

Na hora de dormir

Preparar o bebê para dormir é um ritual: ele deve estar confortável num ambiente tranquilo e seguro. Os pequenos também devem estar bem agasalhados, pois tendem a se descobrir durante a noite, e com um cobertor adequado, sem protetores de berço e acessórios em exagero. Em caso de suor excessivo, troque a roupinha. Mantenha a temperatura entre 23 e 26 graus e evite aquecedores, que diminuem a umidade relativa do ar.

No berçário ou escolinha

Crianças que frequentam a escola são as que mais adoecem, porque as doenças de inverno são essencialmente de contato. Por isso, é importante a prevenção com vacinas, manter uma dieta adequada, ter cuidado com a higiene das mãos (para manipular as crianças), do ambiente e dos brinquedos para evitar a disseminação de infecções. Se o bebê estiver doente ou com febre, deve permanecer em casa, protegendo os demais e colaborando com sua própria saúde, para ter uma cura mais rápida, sem complicações. Solicite que os ambientes sejam arejados, com janelas mais altas que possam ser abertas durante o uso da sala sem que os pequenos sofram com o frio.

Nos cuidados com a pele

Para manter o bebê aquecido e com a pele sem ressecamentos, é importante observar a temperatura dos banhos – e que eles não sejam muito prolongados. Se o seu filho ainda usa fraldas, não utilize lenços umedecidos, prefira lavar com água e sabão. Produtos hidratantes só com orientação médica. Se houver áreas com irritação, leve o pequeno ao pediatra. Além disso, no inverno, o mecanismo de sede fica reduzido, por isso é necessário hidratar bem o bebê, oferecendo bastante água e proporcionando uma alimentação saudável.