Notícias

  02 de Outubro de 2019

Oase trabalha a humanização no atendimento

A humanização especialmente no atendimento é uma das premissas de trabalho dos profissionais que atuam junto ao Hospital e Maternidade Oase. Para a equipe, tornar o atendimento mais humanizado e centrado nas necessidades do paciente e de sua família é um desafio constante.

Para enfrentar o desafio de “humanizar” o Hospital e Maternidade Oase em 2015, implantou o Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) que tem como um espaço coletivo organizado, participativo e democrático, que se destina a empreender uma política institucional de humanização na assistência hospitalar, em benefício dos usuários e dos profissionais de saúde. Atua em gestão participativa, tendo como competência: apresentar, difundir, divulgar, publicar, informar e promover a Política Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar com valores e princípios humanitários que favoreçam a vida e a dignidade do ser humano. Embora a qualidade no atendimento hospitalar já esta prevista como valores e princípios institucionais, a humanização busca trilhar novos caminhos, visando contemplar as diretrizes, dispositivos e linhas de ação da PEH e PNH.

Assim, diversas iniciativas foram desenvolvidas através do GTH que estão sendo colocadas em prática dentro da unidade a fim de promover a humanização, em especial a ampliação dos horários de visita, também conhecida como visita estendida.

Segundo informações da coordenação, desde a instalação da UTI Adulta, alguns horários foram definidos para a visita, mas, neste ano de 2019, houve a abertura de mais um horário no período da noite, que começou com a observação da equipe multiprofissional da UTI sobre o impacto positivo da visita na saúde dos pacientes críticos, diminuindo o seu estado de ansiedade frente ao desconhecido, trazendo mais confiança, além de um nítido aumento na satisfação dos clientes e seus familiares. “Importante frisar que nos horários que antecedem as visitas, a psicóloga e a enfermeira, recebem os familiares na sala de espera da UTI, realizam acolhimento, avaliação psicológica e intervenção breve, de apoio e orientação, e preparo psicológico para a visita”, destaca a enfermeira Silvana J. Jorge.

A ampliação de horários de visitas também está foi efetuado nas unidades de internação, de forma a garantir o elo entre paciente, sua rede familiar, mantendo latente o projeto de vida do paciente. “Nosso objetivo é propor um ambiente hospitalar para que a visita e/ou acompanhante seja acolhido e considerado elemento integrante no processo de recuperação do paciente, a partir da segurança transmitida pela família ao lado”, ressalta a gestora do Hospital Oase, Elisângela Scheidt Roncalio.

 

HORÁRIOS DE VISITA

UTI

*Das 12 às 13h – Dois visitantes por paciente.

*Das 18 às 19h – Dois visitantes por paciente.

*Das 19h30min às 20h30min – Dois visitantes por paciente.

 

UNIDADES DE INTERNAÇÃO

*Das 15 às 17h – Dois visitantes por paciente, com revezamento.

*Das 19h30min às 21h – Dois visitantes por paciente, com revezamento.

É de responsabilidade dos visitantes o controle do revezamento dos crachás fornecidos no início da visita.

TROCA DE ACOMPANHANTES:

Com o objetivo de garantir a segurança e o repouso adequado aos nossos pacientes em tratamento, bem como garantir a organização hospitalar, a troca de acompanhantes deverá acontecer nos seguintes horários:

*Das 7 às 8h - Um acompanhante.

*Das 13 às 14h - Um acompanhante.

*Das 19 às 20h - Um acompanhante.

 

* É obrigatório a apresentação de documento pessoal com foto.

* É obrigatório ao acompanhante sempre portar o cartão de acompanhante.

* É obrigatório ao visitante sempre portar o cartão de visitante.

 

A recepção do Hospital e Maternidade Oase está aberta 24 horas por dia para orientações e esclarecimento de dúvidas aos visitantes.

 

VISITANTES:

Embora o Hospital e Maternidade Oase possua um controle rígido de infecções, a saúde do paciente pode ficar comprometida caso não sejam obedecidas algumas normas de visitação. Leia-as com atenção:

 *Lave as mãos antes e após usar o banheiro, antes de se alimentar e sempre que estiverem sujas. Além de higiênico, é uma forma de respeito ao paciente e evita o surgimento de infecções.

*“Precaução” é uma série de medidas adotadas para prevenir e controlar a disseminação de microrganismos no ambiente hospitalar. Quando o paciente estiver em “precaução”, siga todas as recomendações presentes na porta do quarto, como usar luvas, avental ou máscara.

*Não sente ou deite na cama do paciente e não utilize utensílios e materiais de uso exclusivo do hospital.

*Não traga alimentos para o paciente. A sua dieta é preparada por uma equipe de nutricionistas que avaliam as condições clínicas de cada paciente e quais serão os nutrientes necessários para a recuperação.

*Não visite um paciente se você estiver apresentando: febre, gripe, resfriado ou diarréia, bem como qualquer doença transmissível.

*Os hospitais costumam abrigar pessoas que estão com doenças contagiosas. Não traga crianças menores de 12 anos ao visitar um paciente. No entanto, caso seja necessário, visitas de crianças poderão ser realizadas desde que haja uma avaliação prévia da psicóloga do hospital.

*Lixo fora do local adequado torna-se fonte de insetos. Jogue os lixos e resíduos nos locais apropriados.

*Não mexa nos equipamentos nem interfira nos procedimentos médico-hospitalares.

*Não será permitida a entrada de flores naturais, pois a umidade e a presença de material orgânico em decomposição na terra dos vasos favorece o crescimento de bactérias e fungos, além de atrair insetos. A presença de flores no hospital está relacionada a infecções, principalmente fúngicas.

*Não é permitido fumar nas dependências do Hospital e Maternidade Oase (Lei Federal nº 9.294/96.

*Visitas poderão não ser autorizadas se houver restrição por critérios médicos;

 “Solidariedade e responsabilidade podem fazer a diferença na vida do seu ente querido. Ao seguir cada uma das orientações acima, você minimiza o risco de infecções e contribui para uma progressiva melhora na saúde do paciente”.